Lente na Criação: Descartando pessoas

Lente na Criação: Descartando pessoas

                                         2 de setembro de 2020

                                         por Paul Jeffrey   National Catholic Reporter (EUA)   traduzido de inglês

 

Conheci esses meninos uma noite em um abrigo administrado por uma igreja em Chennai, Índia. Na manhã seguinte, eles me levaram para onde eles passam seus dias - o lixão da cidade, com suas montanhas de lixo fumegante. Jornalistas não são permitidos lá, então os meninos se juntaram para me levar sem chamar a atenção dos fiscais.

Essa cooperação faz parte de sua vida como catadores. Enquanto vasculham o lixo, eles compartilham com entusiasmo notícias de pistas promissoras sobre sucatas, que têm um preço mais alto, ou mesmo comida que ainda é comestível. Freqüentemente, eles cavam lado a lado, cooperando enquanto reviram o lixo.

Em muitas partes do mundo, são os pobres que separam nosso lixo, até mesmo o que exportamos para outros continentes. Enquanto buscam o sustento em nosso excesso, muitas vezes são invisíveis para nós e - como nosso lixo - descartáveis.

Em sua crítica à disseminação da "cultura do descartável", o Papa Francisco escreveu em Evangelii Gaudium: "Os próprios seres humanos são considerados bens de consumo para serem usados ​​e depois descartados".

Nos Estados Unidos, a população gera 1,996 kg de resíduos sólidos urbanos por pessoa por dia.

[De acordo com dados do estudo 'Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil, divulgado no ano 2016, o goianiense produz 0,966 kg de lixo por dia, quantidade parecida com a média do Brasil, que é de 1,040 kg por habitante. Brasília é a campeã, com 1,5 kg de resíduos coletados por dia, seguida do Rio, com 1,4 kg/dia, e São Paulo, com 1,2 kg/dia.   Os números são ainda mais assustadores quando levamos em conta que o país já está no mesmo patamar da Europa na produção de resíduos, mesmo tendo uma renda per capita quatro vezes menor].

Nosso planeta geme sob o peso do que Laudato Si  em “Cuidar de Nossa Casa Comum", denomina nosso "desejo desordenado de consumir mais do que o realmente é necessário". E nossa vida espiritual geme sob o peso de nosso egoísmo.

Como seria um ano de jubileu para essas crianças no lixão? O que eles sonham além das montanhas de lixo? Como podemos viver nossas vidas de modo que eles também vivam? Para curar o planeta, devemos reduzir nosso consumo a níveis sustentáveis ​​para todos.

Para reflexão e ação:

Em um caderno, registre tudo o que sua casa joga fora por uma semana. Anote que tipo de resíduo é e pese-o, se tiver uma balança. Quanto do desperdício da sua semana consiste em restos de comida? Plástico? Papel? Outros itens?

Como você poderia reduzir isso? Acompanhe as próximas semanas de  “Tempo da Criação”.

Você consegue reduzir o seu lixo doméstico?

 

[Paul Jeffrey é um dos fundadores da Life on Earth Pictures e mora em Oregon, EUA. Você pode segui-lo no Instagram.]

 

 

 

O mundo precisa de você agora!

Mais do que você sabe. Mais do que você pode imaginar.

O mundo precisa de seus dons.

Seu coração. Sua compaixão. Seu entendimento.

Sua capacidade de ouvir, falar, sentir e agir.

Leia mais...

Ansiedade - nossa resposta pode ser Medo ou Coragem

Texto do Irmão David Steindl-Rast, monge Beneditino, escrito muitos anos antes da Pandemia.

     A palavra ansiedade vem de uma raiz que significa estreiteza, asfixia e constrição. Não é de admirar: o protótipo de toda ansiedade não é nossa passagem original através do estreito canal de parto? No nosso primeiro nascimento, realizamos essa passagem com destemor instintivo; mais tarde na vida, devemos praticar conscientemente para não ter medo, apesar da ansiedade, quando a estrada fica estreita, para não ter medo, quando a ansiedade nos aperta.

Leia mais...

O Papa escreve Carta ao Povo de Deus

Neste último mês o Papa Francisco escreveu para todos nós, expressando sua profunda tristeza com tantos abusos de pessoas, feitos por padres e bispos. Nesta carta o Papa pede que superamos o mal de clericalismo, que ele coloca como um dos problemas sérios na nossa Igreja e a causa de tantas outras males.

Leia mais...

Transformar medo em amor!

Estar ao ar livre é também uma ótima oportunidade de fazer amigos. A espontaneidade das plantas e dos animais estimula crianças e adultos a se abrirem para o mundo que os cerca. E descobrem quanta coisa têm em comum com aqueles que estão ali, naquele momento, curtindo a maciez do chão cheio de folhas, o barulho das folhas no contato com os pés enquanto caminham, os ninhos dos pássaros, o caminho das formigas, enfim, tanta coisa… Brincar com a natureza proporciona o despertar do sentimento de identidade entre as pessoas.

Leia mais...

Uma lição do Mestre Jesus

Uma lição inesquecível do Mestre Jesus e uma compreensão acerca de seu evangelho. Era uma linda manhã… Após ter descido do monte das oliveiras, Jesus foi ao templo e não muito tempo depois logo havia surgido um amontoado de gente para ouvi-lo. Suas palavras eram um refrigério em meio a um vulcão de legalismo e hipocrisia.

Leia mais...

Toda Dia é da Mulher... mulheres de resiliência

"A inclusão das mulheres na Igreja é um modo criativo de promover as mudanças necessárias. Uma teologia e uma eclesiologia da mulher deve mudar a imagem, o conceito e as estruturas da Igreja. Deverá levar a Igreja a se tornar o Povo de Deus, como proclamado pelo Concílio Vaticano II. A criatividade feminina pode abrir novos modos de ser uma comunidade cristã de discípulos, homens e mulheres juntos, testemunhas e pregadores da Boa Nova", afirmou Arturo Sosa, SJ, Superior Geral da Companhia de Jesus, no dia 08-03-2017, em discurso proferido na Cidade do Vaticano. A tradução do inglês é de Isaque Gomes Correa.

Observar os ceus com uma criança - faz bem para ela e para você

Observar os céus com as crianças é preciso! Uma experiência espiritual, onde pode maravilhar-se com a criação e o Criador! Olhar para o céu e observar sua imensidão, seus movimentos e sentir a maravilha de tudo o que lá existe é algo que atrai muito a atenção e o interesse das crianças. Foi com essa atenção que diferentes povos – cada um a seu modo – desenvolveram seu saber sobre o que acontece com os corpos celestes.

Leia mais...

Uma nova razao para Gratidão: 15 anos apos 9/11

Uma nova razão para Gratidão
Por Br. David Steindl-Rast, OSB

Este artigo, escrito em 2001, continua sendo poderosamente relevante para nosso mundo de hoje. Embora os desafios globais como a crise dos refugiados e as mudanças climáticas ameaçam oprimir-nos com uma sensação de impotência, Br. David lembra-nos que todos nós temos um papel importante a desempenhar. Cinco "pequenos" passos podem fazer a diferença. "Quem teria previsto que a gratidão pode brilhar com esse novo brilho nestes dias escuros? Que a gratidão possa iluminar o nosso caminho."

Leia mais...

Meu pé de jabuticaba reflexão para celebrar um ano de Laudato si

Na escola que eu frequentava quando criança – no período equivalente à Educação Infantil – havia alguns animais como jabuti e coelhos, além de muitas árvores. De tudo isso, o que mais me encantava era a jabuticabeira. Grande e frondosa, ficava na entrada do pátio. Mas, só passei a admirá-la, depois de ver minha professora subindo entre seus galhos e enchendo uma caneca grande de alumínio com muitas bolinhas pretas. Ela chamava as crianças para perto da árvore e ensinava como comer as jabuticabas.

Leia mais...